Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

  

 Em reverência aos Babalaôs Nelson e Hermes

        

        Aprendemos neste Ilê, sob a orientação dos babás Hermes e Nelson que, a presença do orixá é atualizada, é vivificada pela ação de cada filho. Então, quando dissemos sim ao Candomblé como religião e assentamos o Santo, na realidade, naquele momento nos unificamos ao orixá e nos configuramos àquela pura e sagrada energia.

E o que será que significa naquele momento nos configurar ao orixá? Significa que a nossa escolha, a nossa opção pelo candomblé e, principalmente, as nossas ações no dia a dia precisam refletir ou se aproximar o máximo possível da verdade que é expressa pela essência de pureza e grandeza que é o orixá.

Sermos adeptos do candomblé e, mais ainda, sendo, todos nós, filhos deste Ilê que é orientado e disciplinado por estes dois zeladores de santo que abraçaram o que Deus lhes deu como dom e o exercem, não como vaidade, ou sinônimo de poder, mas como servos, como representantes do amor, da grandeza, da força e da fé que os deuses lhes dão, nos dá uma espécie de certificado, na realidade, nos dá uma responsabilidade.

 

E qual será essa responsabilidade?

A responsabilidade é a de sermos melhores seres humanos em nosso dia a dia, em nossas ações cotidianas como reflexo do bom exemplo que aqui observamos e recebemos em amor, dedicação e sabedoria.

Querem os Deuses santos orixás e todas as entidades reverenciadas e protetoras deste local sagrado em todas as suas dependências, que os senhores tenham saúde, vida longa, sabedoria e sintam-se, no mais profundo do seu ser, Pai Hermes e Pai Nelson “vestidos de sol, calçados de lua, coroados de estrelas e cercados de anjos” para continuar orientando cada pessoa que adentra as portas deste Ilê e continuarem a cumprir tão maravilhosamente a missão aos senhores atribuída. Nossa gratidão aos senhores mestres. Muito obrigada! De todos os filhos deste axé!

  

Por:  Monica de Odé